Assembleia Nacional Galega  

 

Bem-vindes ao web da ANG!!


09.01.2017

Homenagem ao Marechal Pero Pardo de Zela

No passado sábado 10 de dezembro de 2016 decorreu o segundo evento organizado pela Assembleia Nacional Galega (ANG) na cidade de Mondonhedo.
 
 
Às 12:00 do meio-dia, reunimo-nos um grupo de 15 pessoas na Praça Maior desta cidade. As atividades do dia começaram com certa demora devido a que algumas pessoas assistentes chegaram com algum atraso, o que provocou que tivéssemos que adequar a ordem do dia ao tempo disponível. Por volta das 13:00hrs começou o roteiro que nos levaria por diferentes pontos de Mondonhedo e que correu a cargo de Xosé Isidro Fernández Vilalba.
 
 
A primeira parada foi a Catedral de Mondonhedo, da qual Cidre nos explicou as suas origens e interessante história, além dalgumas lendas relacionadas com ela. Entrámos no templo e passeámos pelos seus magníficos corredores contemplando a arte lá conteúda.

Tivemos, mesmo, a sorte de aceder à Sacristia Maior onde desfrutamos do impressionante mobiliário, das pinturas, dos espelhos… datados de entre os séculos XVIII e XIX.
 

Catedral de Mondonhedo.jpgCatedral de Mondonhedo

Posteriormente, visitámos o Centro de Interpretação do Caminho de Santiago, lugar em que também se encontra o Museu dos Poetas versado sobre personalidades galegas como Manuel Leiras Pulpeiro, Álvaro Cunqueiro Mora, Pascual Veiga Iglesias, Antonio Noriega Varela…

Centro de Interpretao do Caminho de Santiago. Museu dos Poetas.jpgCentro de Interpretação do Caminho de Santiago. Museu dos Poetas

Após esta visita, percorremos diferentes pontos da cidade de Mondonhedo. Dessa maneira, passámos por frente da sede do famoso bolo de Mondonhedo conhecida como O Rei das Tartas. Alguns dos presentes pudemos experimentar, com antecedêcia, aquela deliciosa sobremesa.

O rei das tartas.jpgSede de “O Rei das Tartas”

O rei das tartas. Esttua.jpgDetalhe da estátua que preside a sede de “O Rei das Tartas”

Bolo de MondonhedojpgFamoso Bolo de Mondonhedo


Assim mesmo, no nosso percurso topamos com a antiga botica do pai de Álvaro Cunqueiro, situada numa das esquinas do Paço Episcopal da cidade.

Antiga botica. Pai de lvaro Cunqueiro.jpgAntiga botica do pai de Álvaro Cunqueiro. Atrás do carro


Por outro lado, também parámos no pequeno monólito em memória do Marechal Pero Pardo de Zela, situado na Praça Maior de Mondonhedo e do mesmo lado da estátua em lembrança do jornalista e escritor Cunqueiro. Lá, justo em frente do monumento ao marechal, tirámos uma foto de grupo que ficou como recordação da nossa passagem por ali.

Monlito ao Marechal Pero Pardo de Zela.jpgMonólito em memória do Marechal Pero Pardo de Zela

Foto grupal. Monlito Pero Pardo de Zela.jpgFoto grupal em frente do Monólito em memória ao Marechal Pero Pardo de Zela

Por outro lado, caminhando pelas ruas da cidade, encontrámos a Livraria Museu Manolo Montero, livreiro mindoniense que recompila coleções de importante valor gráfico, histórico e literário para mostrar neste espaço e na sala de exposições. Montero conheceu Álvaro Cunqueiro sendo criança, e organizou diferentes exposições sobre a vida e obra do mencionado escritor, sendo por isso mesmo quase que como um personagem do próprio Cunqueiro, o conhecido Mago Merlim.

Livraria-Museu Manolo Montero. Merlim.jpgLivraria-Museu Manolo Montero

Após esta paragem, não pudemos deixar de visitar a Ponte do Passatempo, assim conhecida pela popular lenda que conta como a mulher do próprio marechal, Isabel de Castro, atravessando a dita ponte e levando consigo o indulto dos próprios Reis Católicos ao seu cônjuge, foi entretida pelas gentes do bispo de Mondonhedo, inimigo do Marechal. Ela acabaria por descobrir o engano quando ouviu os sinos da catedral tocando a morto, revelando assim, o assassinato de Pardo de Zela.

Ponte do PassatempojpgPonte do Passatempo

Por volta das 15:00hrs chegámos à Taberna do Valeco, onde os presentes pudemos almoçar descontraidamente. Após o almoço, demos mais uns quantos passeios até chegarmos ao Centro de Desenvolvimento Comarcal da Marinha Central. Lá, o escritor e ensaísta Xulio Pardo de Neyra ofereceu uma conferência intitulada Pero Pardo de Zela, Marechal da Castela: O Homem e o Símbolo. Percurso pela entidade nacionalista de uma idealização que versou na desmistificação do símbolo de Pero Pardo de Zela e na importância dos mitos como elementos de coesão social.

Palestra Xulio Pardo de Neyra.jpgPalestra do escritor e ensaísta Xulio Pardo de Neyra


Posteriormente vários membros do grupo promotor da ANG explicaram brevemente os trabalhos realizados na associação para ultimar os Estatutos e o Código Ético e para legalizar o coletivo, além de registar a sua marca. Por pedido dalgumas pessoas presentes, também esclareceram resumidamente os princípios, o papel e a função da ANG

AssembleiaNG - 01:37 @ História, Apresentações | Adicionar um comentário